Para químicos

Os atratores luminosos usados na pesca em águas escuras contêm um líquido oleoso luminescente tóxico para os organismos marinhos e para os humanos (foto: Global Garbage).

O descarte inadequado de objetos e instrumentos usados por barcos e navios de pesca vem poluindo a costa brasileira, com prejuízos ainda não totalmente quantificados. Às redes de pesca, armadilhas e anzóis perdidos ou abandonados, responsáveis pela morte acidental de animais e pessoas, somam-se agora os milhares de bastões de luz, ou atratores luminosos, utilizados em técnicas avançadas de pesca, em águas escuras. Só no litoral norte da Bahia, foram recolhidos, ao longo de 90 km de costa, cerca de 7 mil desses dispositivos.

Os bastões de plástico contêm um líquido oleoso luminescente (capaz de emitir luz a partir de reações químicas entre seus componentes) que é tóxico tanto para os organismos marinhos quanto para o ser humano.

As pesquisas feitas em laboratório com esse material concluíram que o óleo luminescente causa alterações em proteínas e no DNA das células, prejudicando as funções das mesmas e podendo inclusive matá-las.

Mas o perigo não para por aí. Pescadores e catadores de lixo vêm ‘criando’ novas aplicações para os atratores luminosos: de formicida e óleo de bronzeamento a medicamentos para dores nas juntas, inflamações e vitiligo. A população não tem ideia dos riscos a que está se expondo ao usar essa falsa panaceia. Além de tóxico para as células e o DNA, o líquido dos bastões pode provocar alergias, mutações e câncer.

Adereços luminosos desse tipo (braceletes, colares e outros) são também comercializados em festas, sendo utilizados até por crianças, e não há qualquer preocupação com o seu manuseio ou o seu descarte.

Parece urgente, portanto, promover uma campanha de divulgação e educação dos habitantes da costa, assim como fiscalizar e punir os responsáveis por esse lixo. Cabe também às autoridades implantar um método de coleta seletiva que permita dar um destino adequado a esses bastões. Trata-se de um crime ambiental grave que poderia e deve ser evitado.

Esta entrada foi publicada em 1. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s